Pensar em Inglês: Por que isso é Importante? Como treinar meu cérebro para pensar em Inglês?

“Você deve pensar em inglês, se der até sonhar em inglês, só assim chegará ao nível de fluência desejado”. Se você estuda inglês ou já estudou, é quase certo que já ouviu esse tipo de frase e se sentiu intimidado. Para iniciantes no estudo de um segundo idioma é desmotivador ouvir esse tipo de afirmação e sentir completamente o contrário.

Não há motivo para se sentir desmotivado, devemos apenas encarar o desafio de aprender inglês com calma. Organizando-se e dando um passo de cada vez é possível alcançar os resultados propostos, sem procurar falar da noite para o dia.

Inglês em nossa rotina

Aprender inglês é um processo que levará algum tempo e se aprimorará pela vida toda. O primeiro passo desse processo é aceitar que se queremos aprender de fato, precisamos incorporar a língua a nossa rotina para que tenhamos o máximo de exposição possível. Aulas formais são importantes para organizar o aprendizado e ter um caminho claro a seguir. Fora das aulas, devemos procurar ter contato com a língua inglesa todos os dias, a fim de sensibilizar nossos ouvidos para a pronúncia.

Nesse primeiro momento, escute músicas e consuma conteúdos com o áudio original e legendas em português, como filmes e séries. Um erro comum é tentar logo nos primeiros dias em contato com o idioma colocar legendas em inglês para praticar. Dependendo do perfil do aluno, se ele não tinha contato nenhum com a língua inglesa, isso pode ser um estímulo que causa estresse e frustração. Vale mais começar aos poucos e deixar as legendas em inglês para uma etapa futura do aprendizado.

Depois de muito tempo de exposição à língua, podemos começar a refletir sobre pensar em inglês. Esse processo será natural, pois conforme somos expostos a diversos conteúdos de diferentes origens, começamos a reconhecer a pronúncia e atribuir sentido as estruturas mais recorrentes da língua.

Esse reconhecimento de estruturas e expressões comuns substituirá as marcas da língua materna aos poucos e sem pressa paramos de traduzir todas as palavras o tempo todo. Assim começamos a pensar em inglês e reconhecer em diferentes veículos o que o professor nos ensinou em sala de aula. Mas esse salto somente será possível se tivermos contato com a língua todos os dias. Tudo que aprendemos em sala de aula terá valor atribuído conforme consumimos conteúdos de forma independente.

Pensar em inglês é importante para atingir fluência, pois cada língua tem sua identidade própria e só mergulhando nessa identidade, conseguimos aproveitar o melhor de cada idioma. Comparar um segundo idioma a língua materna é natural, mas traduzir tudo causa confusão e cansaço mental, frustrando até o aluno mais animado.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *